Em quem estou me tornando ?



“Que a gente nunca precise encolher pra caber”
Marisa Japur
Acompanhe este depoimento:

“Vim de uma família abastada financeiramente. Cresci vendo meu pai, agressivo e autoritário, abusar psicologicamente da minha mãe.

Vi, nesse abuso, eles fingirem para a sociedade que eram um casal feliz. Isso sempre me incomodou muito.
Hoje, eu tenho ódio da vida que tenho. Finjo ser o ‘pegador’, enquanto vivo minha homossexualidade às escondidas. Penso que se souberem disso, o mundo desabará sobre mim.
Passei a vida fingindo ser o que não sou. Eu quero acabar com a minha vida. Não sou capaz de revelar isso, nem sei como vim parar aqui e como consegui dizer isso a você. Me sinto totalmente perdido.”
Talvez esta pessoa precise de fato “acabar com a própria vida”. Acabar de vez com o que ela não é.
Para isso, será necessário fortalecer sua identidade, estruturar um ‘chão’ no qual ela se sinta segura e confiante para caminhar assumindo suas forças e fraquezas e construindo uma vida digna como ela é.

Pense nisso:
Você tem uma vida que corresponde ao que você carrega na alma e no coração?

Simone Martins e
Virgínia Guerra

(34) 99971-8942
(34) 98876-3338

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *